Mansão em Jurerê Internacional é usada para gravação de vídeo clip do cantor Belo e som alto vira caso de polícia

TV Jurerê
01:05:PM - 26/Feb/2018

Florianópolis é a capital do estado brasileiro de Santa Catarina, na região Sul do país. O município é composto pela ilha de Santa Catarina e a parte continental. A cidade tem uma população de 485.838 habitantes, de acordo com estimativas de 2017 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) do Governo Federal.

A cidade de Florianópolis é conhecida também por “Ilha da Magia” e por ter uma elevada qualidade de vida, sendo a capital brasileira com maior pontuação do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), calculado pelo PNUD, das Nações Unidas.

No verão, Florianópolis mais que dobra a sua população. Turistas do mundo inteiro vêm conhecer Jurerê Internacional.

É em Florianópolis que está localizado Jurerê Internacional, na região norte da Ilha de Santa Catarina. É um residencial a beira do oceano Atlântico e a sua ocupação foi planejada desde o início, das ruas e construções até a segurança, comércio e serviços. Já nasceu com “plano diretor” próprio. É um dos destinos turísticos mais badalados do verão brasileiro.

A lista de famosos que vieram a Jurerê Internacional é enorme. Uma rápida consulta a memória, podemos dizer que estiveram em Jurerê Internacional Calvin Harris, sua música Summer atingiu 1.193.234.768 visualizações no YouTube, Paris Hilton, Gisele Bündchen, o piloto alemão Michael Schumacher, o grande tenista Guga, o jogador Neymar, Jeremy Piven, Omar Benson Miller, a modelo Nina Agdal, Letícia Birkheuer, ex-jogador Ronaldinho, Miss Brasil Priscila Machado, o nadador César Cielo, o técnico da Seleção de Volei do Brasil Renan Dal Zotto, a top model Alessandra Ambrósio, o CQC Rafael Cortez, o cantor Michel Teló, o ex-jogador Romário, ex-panicat Babi Rossi, o nadador Fernando Scherer, a apresentadora Sheilla Melo, o ator norte-americano Gary Dourdan, Di Ferrero, conhecido por liderar a banda NX Zero, o produtor de moda e youtuber Matheus Mazzafera, o piloto Adibe Marques, e inúmeros atletas, artistas, escritores e cantores entre outras celebridades e famosos.

E falando em cantores, no último sábado, dia 24 de fevereiro de 2018, a badalada Jurerê Internacional foi alvo de ocorrência na Polícia Militar de Santa Catarina.

Exatamente as 14h38, a área de Segurança dos moradores e proprietários de Jurerê Internacional foi acionada. A empresa que presta serviços em Jurerê Internacional pertence ao Grupo Zanardo.

Uma mansão na rua dos Robaletes, 572 era palco de uma “festa” para o cantor Belo.

Lá era promovida a produção e gravação de vídeo clip comercial. Ou seja, alguém está ganhando dinheiro e no caso específico em prejuízo de terceiros.

Com o som musical insuportável, certamente acima do permitido na legislação ambiental, a festa com banda de pagode na mansão da rua dos Robaletes, 572 em Jurerê Internacional, já era alvo de moradores e proprietários de imóveis que se sentem prejudicados com eventos comerciais, sem licença da Prefeitura de Florianópolis, e que causam sérios transtornos para a vida cotidiana da famosa praia.

 A área de segurança de Jurerê Internacional conta com o Programa Integrado de Qualidade Diferenciada, denominado de PIQD, com gestão do Grupo Habitasul, cujo segurança de plantão chegou as 14h39 a frente da mansão da rua dos Robaletes, 572.

Os responsáveis pela festa informaram ao segurança que ali na mansão residencial estava sendo realizada a produção e gravação de um DVD comercial, com o cantor Belo. Noticiados sobre a legislação e o crime previsto em lei ambinetal, ficaram os idealizadores do vídeo clip comercial de promover a redução do som da banda de pagode.

Descumprindo a legislação e interferindo na vida dos moradores de Jurerê Internacional, a banda de pagode e os presentes na mansão da rua dos Robaletes, 572 visavam apenas o interesse comercial, o lucro, e que se dane quem mora na badalada praia.

As 18h25 o som era tão alto que casas no entorno da mansão da rua dos Robaletes, 572 mantinham as janelas e portas fechadas em pleno verão.  Certamente os moradores estavam indignados e revoltados com a “festa” do cantor.

A segurança de Jurerê Internacional foi acionada pela segunda vez.

O segurança do PIQD promoveu a mediação de decibéis do som da banda de pagode.

As 19h55 a segurança de Jurerê Internacional se fez a frente da mansão da rua dos Robaletes, 572, onde se realizava a produção e gravação do DVD comercial do cantor Belo, desta vez acompanhado de duas viaturas da Polícia Militar de Santa Catarina e de policiais que atendem as ocorrências no bairro.

Músicas propagadas em volumes muito altos além de trazer riscos a saúde das pessoas, no caso de moradores de Jurerê Internacional, ainda pode acarretar os seus adeptos consequências jurídicas como responder pelo crime ambiental, que esta tipificado na Lei de Crimes Ambientais, a Lei nº 9.605/98, como também na Lei das Contravenções Penais, o Decreto Lei 3.681/1941 e infrações administrativas.

Certamente a Policia Militar de Santa Catarina deve ter feito o registro dessa ocorrência da mansão da rua dos Robaletes, 572 e os infratores da “festa comercial” em Jurerê Internacional responderão pela musica propagada com volume muito alto acima do permitido em lei. Ou estou errado?