Alan Ruschel se emociona e fala em milagre após acidente da Chape:

TV Jurerê
12:30:PM - 17/Dec/2016
Alan Ruschel se emociona e fala em milagre após acidente da Chape:
Tarla Wolski/Futura Press/Estadão Conteúdo

Alan Ruschel concedeu a primeira entrevista coletiva nesta manhã

17/12/2016 | 12h30

Em 1ª coletiva, lateral brincou sobre a necessidade de ganhar peso: "Tô só a capa do grilo"

Sobrevivente da tragédia de Medellín, Alan Ruschel não vê a hora de voltar a jogar. O lateral foi o primeiro a ter alta do hospital e concedeu entrevista coletiva na manhã deste sábado (17), em Chapecó. Em diversos momentos, Ruschel comentou da vontade de estar em campo. A expectativa é que ele só possa retornar em, no mínimo, seis meses para aguardar a calcificação na coluna, realizar fisioterapia e ganhar massa muscular.

A entrevista de Ruschel contou com momentos emocionantes, como quando ele falou sobre relação com Jackson Follmann, outro sobrevivente do acidente, e também com momentos de alegria. Ao comentar sobre a necessidade de ganhar massa muscular, Alan brincou afirmando que ele está só a "capa do grilo".

O lateral se emocionou ao falar sobre a queda do avião e sua condição de saúde.

No momento que caiu aquele avião, Deus me pegou no colo e falou que eu tinha mais missão aqui na terra, por isso que ele não me levou. Foram dois milagres na minha vida, primeiro de eu estar aqui, vivo, e o segundo de poder estar andando.
O jogador sonha em voltar aos campos e afirma que vai dar muitas alegrias para a equipe.

Vou dar muita alegria pra Chapecoense, com muita dedicação, muito esforço, muito trabalho. Com certeza eu vou dar a volta por cima e vou voltar a jogar.

Já sobre as lembranças do relacionamento com o grupo, o lateral afirmou:

O grupo era bem unido e a amizade ia além do futebol e é isso que vai levar para sempre. A Chapecoense era muito mais que um time. A gente tinha uma família. A gente passa mais tempo com o time do que com a própria família. Além de companheiros de trabalho, nós éramos amigos.

Ruschel disse também não se recordar de momentos antes do acidente:

Lembro da gente saindo de São Paulo, chegando em Santa Cruz de La Sierra e saindo de lá. Não lembro do voo, não lembro do acidente. Só lembro depois da minha esposa falando comigo no hospital. Parecia um sonho, um pesadelo, não sei. Não sabia o que estava acontecendo... aos poucos foram me contando, aos poucos a ficha foi caindo. Eu não lembrava do jogo, não lembrava de nada.

Quando a equipe da Chapecoense mudou para o voo fretado, em Santa Cruz de La Sierra, Cadu, um dos dirigentes da equipe, pediu para que Ruschel mudasse de poltrona no avião.

Quando a gente chegou em Santa Cruz de La Sierra, a gente ia pegar um voo fretado e o Cadu pediu pra eu sentar um pouco mais pra frente e deixar os jornalistas sentarem mais atrás. Eu não queria sair dali, aí eu vi o Follmann e ele insistiu pra ir sentar com ele.

Já no fim da entrevista, Alan Ruschel disse que vai cumprir a promessa feita para os médicos colombianos de fazer um churrasco com eles, e lembrou que Follmann será o responsável por tocar violão.

O próximo sobrevivente brasileiro a receber alta deverá ser o jornalista Rafael Henzel. Jackson Follmann, internado em São Paulo, deixa o hospital nesta manhã e segue para Chapecó, onde continuará internado. Neto passou a primeira noite no Brasil e ainda deve permanecer hospitalizado por mais alguns dias. E Ruschel falou sobre o jogador com emoção:

O Neto é um amor de pessoa. O Neto é um milagre de Deus, assim como o Follmann, assim como eu. Hoje o Neto é um cara que eu vou levar como irmão pro resto da vida.

Fonte: R7